Esponja

Para minha vó Nice, mais um de tantos.

ainda enche de água os olhos

pousá-los sobre este sorriso
[agora só por fotos]
porque logo vêm cheiros
e depois vêm lembranças
que represadas pedem passagem
 
o peito aperta
o choro escorre
talvez meu coração
seja uma esponja
 
que depois de seca recolhe
gota após gota
seu amor em memórias
 
[até que se encharque e de novo precise
apertar-se]
 
Anúncios
Esta entrada foi postada em poemas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s