Eclipse solar (Ícaro)

o espelho na parede
tua imagem presa nele
parece pintura
sem moldura

e é por teu reflexo
que te admiro
para não cegar meus olhos
como quem com um negativo
mira um eclipse solar

e se eu de repente me viro
é porque sinto o perigo
desse teu sorriso
assim tão perto
do meu

mas aos poucos minhas
pupilas se contraem
diante de tua claridade
eu tomo fôlego
crio coragem
e voo

contorno a lua
e me lanço em tua direção
— que minhas asas de cera
não derretam aqui
tão longe do chão

Anúncios
Esta entrada foi postada em poemas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s